Home
 
JUBILEU EXTRAORDINÁRIO DA MISERICÓRDIA Imprimir E-mail

 

 

NOTÍCIAS DE MAIO


Dia 31 - FESTA DA PADROEIRA NOSSA SENHORA DE LOURDES EM ENCRUZILHADA

No mês de maio, a Paróquia Nossa Senhora de Lourdes, em Encruzilhada (BA), desta Arquidiocese, celebra a festa de sua excelsa Padroeira. Este ano, no contexto do Ano Santo da Misericórdia, a festa foi motivada pelo tema geral: “Casa Comum, Nossa Responsabilidade. Cuidar da Vida é nossa Missão”, inspirando-se, como marco referencial, no objetivo geral do Plano Arquidiocesano de Pastoral: “Evangelizar a partir de Jesus Cristo, na força do Espírito Santo, como Igreja discípula, missionária, profética e misericordiosa, alimentada pela Palavra de Deus e pela Eucaristia, à luz da evangélica opção preferencial pelos pobres para que todos tenham vida, rumo ao Reino definitivo”. Com este fio condutor, a Paróquia tomou a grande iniciativa de preparar-se para a festa de sua Padroeira, Nossa Senhora de Lourdes, convocando todos os fiéis paroquianos a uma caminhada missionária, realizada no último dia 15, em visita a todos os lares das comunidades rurais e urbanas, em atenção aos apelos do Papa Francisco: “Igreja em saída ao encontro dos afastados, dos pobres e excluídos, formando discípulos missionários para testemunhar o Evangelho a serviço do Reino de vida plena para todos”. Na terça-feira (31), festa litúrgica da Visitação de Nossa Senhora, que marca o encerramento do mês Mariano, o Arcebispo Metropolitano Dom Luís Pepeu presidiu a Missa Solene em louvor a Nossa Senhora de Lourdes, este dia festivo a ela dedicado pelos encruzilhadenses. Dentro da proposta do tema geral da festa e dos elementos motivadores, o Arcebispo destacou em sua homilia que a Igreja, próprio pela sua condição de ser Igreja, tem a missão misericordiosa de “cuidar de nossa casa comum”, não fazendo uso irresponsável dos bens que o Criador e Senhor colocou em suas mãos. Lembrou, então, que o projeto do Criador é maravilhoso, mas encontra-se ameaçado, fazendo referência a dois gritos que geram a preocupação pela ecologia: o grito dos pobres, os que mais sofrem e são ameaçados, e o grito da Terra que geme pela exploração e consequente destruição. Dom Luís também se referiu a um tema muito caro ao Papa Francisco: a “conversão ecológica”, que implica responsabilidade, encontro e diálogo, traduzido como uma efetiva mudança do modo de pensar, de ser e de agir de todas as pessoas no mundo de hoje, diante de tudo aquilo que o Criador colocou nas mãos de suas criaturas a fim de que administrassem com sabedoria. Referindo-se à Festa da Visitação de Nossa Senhora, lembrou que Maria foi motivada por uma atitude de caridade feita disponibilidade e discrição e que, com Isabel, acolhe em sua vida a ação de Deus. Dom Luís lembrou também que para acolher, é preciso sair de si próprio e este é, mais que um convite, o grande apelo para a Igreja de hoje: ser uma Igreja em “saída”, uma Igreja que, saindo de si mesma, vai ao encontro e acolhe os outros. A Missa foi concelebrada pelo Pároco Padre Vasco, contando com a presença de uma grande multidão de fiéis e devotos de Nossa Senhora de Lourdes, que, como peregrinos no meio das lutas e tribulações da vida, foram invocar a maternal proteção e consolação da Virgem Maria para todos. Após a Santa Missa, aconteceu a Procissão pelas ruas da Cidade com a imagem de Nossa Senhora de Lourdes.

 

Dia 29 - DOM LUÍS CELEBRA NO ENCERRAMENTO DA FESTA DE NOSSA SENHORA RAINHA DA PAZ


A Paróquia Nossa Senhora Rainha da Paz e São Vicente de Paulo, depois de um novenário muito intenso de preparação, celebrou neste domingo (29), a festa de Nossa Senhora da Paz, contando com a presença e participação de um grande número de fiéis. Dom Luís presidiu a Celebração Eucarística, que aconteceu após a procissão da Imagem de Nossa Senhora Rainha da Paz pelas imediações da Igreja Matriz. O pároco Padre Valmir concelebrou a Santa Missa com o Arcebispo. Foi uma celebração muito bonita, com uma liturgia bem preparada, contando com a participação dos diversos grupos de pastorais e movimentos da Paróquia e a presença animadora das Comunidades Rurais. Dom Luís saudou a todos os presentes, falando de sua grande alegria em encontrar-se ali com a Comunidade de Nossa Senhora Rainha da Paz neste tempo privilegiado da Paróquia para a festa de sua Padroeira. Este momento celebrativo, sublinhou o Arcebispo, reunidos em oração e em ação de graças ao Deus da vida, fonte de misericórdia, constitui um tempo muito propício para uma interiorização, onde todos são convidados a refletir sobre a própria caminhada comprometida com a construção do Reino de Deus através da vivência e do engajamento na vida da paróquia em comunhão com toda a Igreja. Lembrou Dom Luís que o tema norteador da festa da Padroeira está em sintonia com a proposta do Papa Francisco no contexto do Ano Santo da Misericórdia: “Missionários da Misericórdia”. Em sua homilia, o Arcebispo lembrou o exemplo de Maria, imagem e modelo da Igreja missionária, Igreja em saída. Maria, pela anunciação do Anjo Gabriel, recebeu o dom mais precioso de Deus: ser Mãe do Verbo Encarnado. O primeiro gesto do seu “Sim” ao Pai foi colocar-se a caminho para servir e levar Jesus. Maria, no Magnificat, exulta de alegria e proclama a grandeza de Deus, de sua bondade e misericórdia que atua e se revela na história do mundo, a todos, particularmente, aos últimos, os pobres e pequenos, os humildes, humilhados e oprimidos. No Magnificat, Maria experimenta, canta e revela o amor fiel e misericordioso de Deus que se estende de geração em geração. A exemplo de Maria, a Igreja deve ser “missionária da misericórdia”, ou seja, deve anunciar a alegria e o perdão misericordioso do Pai, levando Jesus aos corações da humanidade. Dom Luís, ao concluir sua homilia, exortou todos os fiéis e devotos de Nossa Senhora Rainha da Paz que aprendam com Maria a participar no amor compassivo e misericordioso de Jesus pela humanidade ferida. “Nunca nos cansemos de oferecer misericórdia”: estas foram as palavras finais do Arcebispo, pedindo também que Maria possa visitar a todos com o seu amor materno, levando-lhes esperança e consolação. No final da celebração, Dom Luís foi saudado carinhosamente por muitos fiéis, que lhe foram ao encontro e lhe dirigiram uma palavra amiga, um aperto de mão e um abraço, invocando-lhe também a sua bênção.

Dia 26 - SOLENIDADE DE “CORPUS CHRISTI” EM VITÓRIA DA CONQUISTA




Na tarde desta quinta-feira (26), Solenidade do Santíssimo Corpo e Sangue de Cristo, milhares de fiéis católicos, aproximadamente cinco mil pessoas, procedentes das 10 paróquias da Cidade de Conquista, que compõem o Vicariato São Lucas, lotaram os espaços do Ginásio de Esportes Raul Ferraz para a Solene Celebração Eucarística presidida pelo Arcebispo Dom Luís Pepeu e concelebrada pelos diversos padres do Vicariato. Participaram da Celebração Eucarística e exerceram sua diaconia os Diáconos Permanentes da Cidade de Conquista. Estavam presentes também as religiosas, os seminaristas, muitos coroinhas e os ministros extraordinários da Sagrada Comunhão. A liturgia da solenidade de “Corpus Christi” tem a centralidade em Jesus que a todos se dá como alimento na Eucaristia, memorial vivo do Sacrifício Redentor, exigindo a adesão à sua Pessoa a quem o quiser seguir como discípulo missionário. Dom Luís, na homilia, lembrou que a solenidade do Corpo e Sangue de Cristo faz eco à celebração da Quinta-feira Santa, recordando a última Ceia, ao mesmo tempo que coloca todos os cristãos em profunda sintonia com o mistério da Páscoa do Senhor. Sublinhou que neste Ano Santo da Misericórdia, o Sacramento da Eucaristia assume especial relevo como “ápice e fonte”da vida cristã, pois a Ceia Eucarística é uma forma especial de “ação de graças” pelo dom inefável de Jesus Cristo, que oferece a vida por amor a toda a humanidade, o amor misericordioso de Deus em Jesus Cristo. A solenidade deste dia leva cada cristão a experimentar, de forma mística e concreta, este mistério da entrega do Senhor Jesus. Dom Luís também destacou a importância de cada cristão, ao celebrar a Eucaristia, atualizar os gestos de amor oblativo em favor da vida de todas as pessoas, sendo alimento para a vida do mundo através do amor fraterno, da partilha solidária, sempre movido pela misericórdia e sentindo no fundo do coração uma intensa compaixão pelos que se encontram caídos, cansados e abatidos à margem do caminho. Dom Luís concluiu sua homilia convidando a todos os presentes a assumir, ao longo deste Ano da Misericórdia, o compromisso de partilhar o pão da vida diária. No final da celebração, após a distribuição da Sagrada Comunhão aos fiéis e proclamada a Oração depois da Comunhão, foi o momento de preparação para a Procissão do Santíssimo Sacramento. Dom Luís motivou a multidão para este momento significativo, destacando que a Procissão lembra a caminhada do povo de Deus, povo peregrino, em busca da Terra Prometida. Se, na travessia do deserto, esse povo foi alimentado com o maná descido do céu, hoje, o alimento é o próprio Corpo de Cristo. Solenemente, o Arcebispo tomou em suas mãos o Hostensório, dirigindo-se para os espaços externos do Ginásio de Esporte, dando início à Procissão com o Santíssimo Sacramento, que abençoava a Cidade de Conquista. A Procissão, acompanhada pela grande multidão, que, piedosamente, cantava e rezava, percorreu as principais ruas da Cidade em direção à Igreja Catedral Nossa Senhora das Vitórias. Já no início da noite, chegando à praça da Catedral, das escadarias da suntuosa Igreja Mãe, Dom Luís concluiu a celebração com a solene bênção do Santíssimo. A Celebração foi muito bonita, constituindo-se em uma grande demonstração pública da fé católica do povo conquistense.

 

Dia 22 - PASTORAL DA CRIANÇA CELEBRA 22 ANOS EM CÂNDIDO SALES


A Pastoral da Criança fundada no dia 1º de maio de 1994 na Paróquia de Cândido Sales, Arquidiocese de Vitória da Conquista, celebrou neste dia 22 o seu Vigésimo Segundo aniversário. A Irmã Conceição Cantão, Coordenadora Arquidiocesana da Pastoral, participou da celebração. Nestes dias ela visitou também a Pastoral da Criança em Lindo Horizonte, Paróquia de Anagé, implantada há 2 anos. A Pastoral da Criança é um organismo de ação social da CNBB, que alicerça sua atuação na organização da comunidade e na capacitação de líderes voluntários que ali vivem e assumem a tarefa de orientar e acompanhar as famílias vizinhas em ações básicas de saúde, educação, nutrição e cidadania tendo como objetivo o "desenvolvimento integral das crianças, promovendo, em função delas, também suas famílias e comunidades, sem distinção de raça, cor, profissão, nacionalidade, sexo, credo religioso ou político" (Estatuto Art 2º). Trabalha-se por um mundo sem mortes materno-infantis evitáveis e onde todas as crianças, mesmo as mais vulneráveis, viverão num ambiente favorável ao seu desenvolvimento" (Cf. Is 65,16). A missão da Pastoral da Criança é promover o desenvolvimento das crianças, à luz da evangélica opção preferencial pelos pobres, desde o ventre materno até os seis anos, por meio de orientações básicas de saúde, nutrição, educação e cidadania, fundamentadas na mística cristã que une fé e vida, contribuindo para que suas famílias e comunidades realizem sua própria transformação.

 

 

Dia 22 - CRISMA NA PARÓQUIA DE GUADALUPE EM VITÓRIA DA CONQUISTA


Na noite deste domingo (22), Solenidade da Santíssima Trindade, Dom Luís Pepeu celebrou a Solene Eucaristia na Igreja Matriz da Paróquia Nossa Senhora de Guadalupe, Conquista, na qual conferiu o sacramento da crisma a mais de 100 jovens da Comunidade Paroquial. Ao chegar na Igreja, o Arcebispo foi calorosamente acolhido pelo pároco Pe. Bebeto, pelos catequistas, equipes de pastoral e outras pessoas da Comunidade. Na ocasião, Dom Luís saudou a todos da comunidade e aproveitou para agradecer o gesto de carinho com que recebido. Na homilia, destacou a importância da Solenidade da Santíssima Trindade, que pretende ser para a comunidade momento privilegiado e oportuno para contemplar o Deus que é amor e, constantemente, convida o ser humano a participar da comunhão deste mistério de amor. Passando pela primeira leitura, enfatizou que o texto propõe ao ser humano a contemplação do Deus criador e reflete sobre a origem da sabedoria e a sua função no plano de Deus. Esta sabedoria tem origem em Deus, com quem está em íntima relação, e se destina aos homens e mulheres, pondo-os em relação e em contato com Deus. Na segunda leitura, o ouvinte é convidado a contemplar Deus que, por seu amor e pela sua misericórdia, justifica o ser humano, de modo totalmente gratuito e incondicional, por mediação do Filho. E pelo Espírito Santo, o amor de Deus é derramado abundantemente no coração humano. O Evangelho é, igualmente, um convite para contemplar o amor do Pai, que se manifesta na doação e na entrega do Filho e que continua presente na caminhada da Igreja e da história através do Espírito. Dom Luís sublinhou que, na Solenidade da Santíssima Trindade, a Comunidade Cristã é convidada a contemplar o amor de um Deus que nunca desistiu do ser humano e que sempre buscou meios de vir ao seu encontro. No contexto da celebração do Ano da Misericórdia, Dom Luís, fazendo suas as palavras do Papa Francisco, ressaltou que “o nome de Deus é misericórdia” e “misericórdia é a palavra que revela o mistério da Santíssima Trindade”. Concluindo suas reflexões, Dom Luís dirigiu-se aos mais de 100 jovens crismandos, lembrando-lhes que a Crisma, ou o Sacramento da Confirmação, deve significar na vida do jovem a maturidade de sua vivência cristã de fé, uma fé vivenciada na própria comunidade. Daí, emerge o compromisso do crismado no engajamento da ação evangelizadora da Igreja. Aquele que é confirmado na fé pelo Sacramento da Crisma deve ser responsável e comprometer-se com uma Igreja Discípula e Missionária, uma Igreja Misericordiosa e Profética. No final da Celebração Eucarística, toda a Comunidade Paroquial manifestou grande alegria pelos jovens crismados e também pela oportunidade da presença de seu Pastor em seu meio. Uma grande multidão que se comprimia, participou com muito entusiasmo e piedade da Santa Missa. Foi um momento de graças e bênçãos de Deus na vida daquela Comunidade Paroquial.

 

Dia 21 - DOM LUÍS PEPEU CELEBRA ENCERRAMENTO DO NOVENÁRIO DE SANTA RITA EM ITABUNA


Neste sábado (21), às 19h30min, na Paróquia Santa Rita de Cássia, Frades Capuchinhos, Diocese de Itabuna (BA), Dom Luís, a convite do Pároco Fr. Genilton, presidiu a Solene Celebração Eucarística na última noite do Novenário em preparação para a Festa da padroeira Santa Rita. Partindo do contexto da celebração do Jubileu Extraordinário da Misericórdia, a reflexão de Dom Luís foi norteada pela temática: “Santa Rita, Modelo de Misericórdia”. Esta meditação, nas palavras de Dom Luís, sem grandes pretensões, quer ser uma motivação aos fiéis e devotos de Santa Rita na busca constante de vivenciar o presente Jubileu através da observância e da prática das obras espirituais e corporais de misericórdia. Dom Luís, citando uma passagem do Evangelho onde Jesus afirma: “Todas as vezes que o fizestes a um desses meus irmãos mais pequeninos, foi a mim que o fizestes”, destacou que as obras de misericórdia são exigências da caridade e do amor misericordioso, e que cada um será julgado pelas obras de misericórdia praticadas, ou deixadas de praticar. Referindo-se à vida de Santa Rita de Cássia, mencionou algumas de suas grandes virtudes: uma vida de piedade, demonstrando desde pequena uma grande devoção a Nossa Senhora e a Jesus Crucificado;  uma vida pautada pela total obediência, mesmo quando esta se opunha ao chamado religioso que sentia em sua alma desde cedo; uma vida marcada pela extrema paciência, em espírito de oração e de grandes sacrifícios, diante das asperezas e dissabores que a vida conjugal lhe proporcionava; uma vida atenta ao Evangelho. Dom Luís lembrou muito bem que em Santa Rita, pode-se encontrar o exemplo para as mães que querem construir o seu lar à luz da Palavra, aquecido com o fogo abrasador do Espírito Santo. Santa Rita, continua Dom Luís, encontrando-se sozinha no mundo, experimenta a noite escura tão peculiar aos santos. No entanto, tomada pela determinação e pelo espírito de obediência, foi capaz de reerguer-se do leito do desânimo e por-se a caminho, entregando-se totalmente a Deus e dedicando-se com mais intensidade e liberdade de espírito aos enfermos e aos pobres e necessitados. Como a parábola do Bom Samaritano, Santa Rita foi ao encontro dos pobres e enfermos, cuida dos feridos, dos caídos e enfraquecidos. Acolhida na Ordem Agostiniana, torna-se um modelo de humildade, na prática da caridade e na alegria de estar fazendo a vontade de Deus. No auge da contemplação, tendo amado até as últimas consequências o Divino Esposo, dele recebe o dom mais precioso, sinal do espinho em sua fronte como prova de sua participação na Paixão de Cristo. A Celebração Eucarística foi concelebrada pelo Pároco Fr. Genilton e contou com a presença dos demais membros da Fraternidade local. Uma grande multidão de fiéis participou desta última noite do novenário. Dom Luís Pepeu foi muito bem acolhido, tanto pelos frades, como também pelo povo em geral. Ele voltou para sua Sede Episcopal muito contente pela receptividade dos itabunenses.

 

Dias 20 a 22 - PRIMEIRO ENCONTRO DA JUVENTUDE MISSIONÁRIA ESTADUAL EM VITÓRIA DA CONQUISTA

Neste final de semana, em Vitória da Conquista, mais de 100 jovens de 11 Dioceses da Bahia participaram do 1º Encontro Estadual da Juventude Missionária. No sábado, pela manhã, o grupo foi saudado pelo Arcebispo Dom Luís Pepeu. A Juventude Missionária animada pelas Pontifícias Obras Missionárias (POM) é um setor da Pontifícia Obra da Propagação da Fé, Obra fundada por uma leiga, Paulina Maria Jaricot (1799-1822), em 3 de maio de 1822, em Lyon (França). No Brasil existem outros grupos de Juventude Missionária que não estão vinculados às POM, que são acompanhados por movimentos, congregações religiosas, etc., possuindo, portanto, outra orientação e metodologia. Do encontro em Vitória da Conquista participaram representantes das Dioceses de Alagoinhas, Barreiras, Bom Jesus da Lapa, Caetité, Camaçari, Eunápolis, Ilhéus, Jequié, Paulo Afonso, Serrinha e Arquidiocese de Vitória da Conquista. Também participaram algumas religiosas, o Secretário Nacional da Pontifícia Obra da Propagação da Fé - Guilherme Cavalli, o Coordenador Estadual, Daniel Bittencourt e alguns padres, a exemplo do Coordenador do Comire-NE3 - Padre Antônio Niemec (Salvador); do Referencial da JM Estadual - Padre Irineu Meira (Vitória da Conquista); Padre Hélio (Caetité); Padre Alexandre e Padre  Martins (Serrinha).

Dias 17 a 19 - ATUALIZAÇÃO DO CLERO DE VITÓRIA DA CONQUISTA

Nos dias 17 a 19, no Convento dos Frades Capuchinhos, em Vitória da Conquista - BA, aconteceu a Atualização do Clero 2016 da Arquidiocese de Conquista, tendo por tema: “Instrução Geral do Missal Romano”. Participaram deste encontro de formação permanente os sacerdotes e diáconos permanentes. O Arcebispo, Dom Luís Pepeu, conduziu os trabalhos. O objetivo foi fazer um amplo estudo na área da Liturgia, tendo como instrumento de trabalho o texto oficial da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil - CNBB, em sua 3ª. edição típica: Instrução Geral do Missal Romano e Introdução ao Lecionário. A formação privilegiou o aspecto da celebração da Eucaristia em seus mínimos detalhes.

Dia 14 - APRESENTAÇÃO DO BISPO COADJUTOR DA DIOCESE DE JUAZEIRO - BAHIA


Aconteceu na noite deste sábado (14), na Diocese de Juazeiro (BA), véspera da Solenidade de Pentecostes, a Cerimônia de Apresentação do seu Bispo Coadjutor Dom Carlos Alberto Breis, OFM. A celebração da Santa Missa começou às 19h30min. Os celebrantes, bispos e padres, reuniram-se na nova Residência Episcopal, inaugurada na tarde do sábado por Dom Beto, onde se paramentaram, saindo em procissão em direção à Catedral-Santuário Nossa Senhora das Grotas. A celebração foi presidida pelo Arcebispo de Feira de Santana Dom Zanoni Demettino e concelebrada por Dom Geraldo, Bispo Diocesano de Juazeiro, e por outros bispos do Regional NE-3 da CNBB, entre os quais, Dom Luís Pepeu, Arcebispo de Vitória da Conquista. Concelebraram com os bispos muitos padres, tanto membros do Clero local, como também padres vindos de outras regiões e confrades franciscanos de Dom Beto. A celebração aconteceu na praça da Catedral, contando com representantes dos diversos grupos pastorais e movimentos da Diocese e uma grande multidão de fiéis católicos, que ocuparam todos os espaços da praça à frente da Igreja Catedral-Santuário. Dom Luís Pepeu, em um belo gesto fraterno e em sinal de comunhão episcopal, participou da Celebração de Apresentação. Voltou da cerimônia radiante de alegria e cheio de entusiasmo pelo irmão e novo membro do Episcopado do Regional NE-3. Em seus comentários, não deixou de tecer elogios pela bela e grandiosa receptividade do povo católico ao seu Bispo Coadjutor.

Dia 13 - FESTA DE NOSSA SENHORA DE FÁTIMA EM CONQUISTA


O Arcebispo Metropolitano Dom Luís Pepeu presidiu a Solene Celebração Eucarística de Encerramento da Festa de Nossa Senhora de Fátima, Excelsa Padroeira da Paróquia Nossa Senhora de Fátima e Santo Antônio de Lisboa, Frades Capuchinhos, em Vitória da Conquista. A festa deste ano, em comunhão com a Igreja de todo o mundo, no contexto da celebração do jubileu extraordinário do Ano Santo da Misericórdia, foi preparada por um animado trezenário, tendo por tema central: “Com Maria, sigamos Jesus, o Rosto da Misericórdia do Pai”. Em suas palavras, o Arcebispo salientou que este tema norteador de toda a trezena e do dia festivo quer ser uma constante motivação aos devotos da Virgem de Fátima e de todos os fiéis católicos para a vivência mais concreta do Jubileu da Misericórdia, através da observância das obras de misericórdia no espírito das bem-aventuranças no quotidiano da vida. Em suas palavras iniciais, Dom Luís dirigiu uma saudação fraterna a Frei Gilson, Pároco de Nossa Senhora de Fátima, a Frei Liomar, Provincial dos Frades Capuchinhos da Província Bahia e Sergipe, a Frei Geraldo, Guardião da Fraternidade Nossa Senhora de Fátima, e aos demais concelebrantes e também aos religiosos e religiosas presentes, formandos, seminaristas, vocacionados, coroinhas e ministros, à Comissão de Festa e às Comunidades rurais e urbanas da Paróquia. Na sua homilia, Dom Luís destacou a importância da festa da Padroeira como um tempo propício de interiorização e muito oportuno para uma avaliação e renovação do compromisso da Comunidade em vivenciar a sua vocação de Igreja Discípula, Missionária, Misericordiosa e Profética. Destacou o grande acontecimento das aparições da Virgem Maria em Fátima como sinal de paz e uma luz de esperança para um mundo que vivia uma situação trágica, ameaçado pela fatalidade do mal, por guerras, pelo ódio e divisões, pela falta de fé, pela apatia e pelo indiferentismo religioso, um mundo ameaçado pelo egoísmo e autossuficiência. Afirmou também que Fátima se apresenta como uma palavra profética e uma intervenção divina na história da humanidade mediante o rosto materno de Maria, Mãe de ternura e de misericórdia. No final de sua homilia, exortou os fiéis e devotos a viverem, segundo o exemplo da Virgem Maria, o amor compassivo e misericordioso de Jesus, sempre solidários ao sofrimento do outro, realizando as obras de misericórdia e promovendo a justiça e a paz nas comunidades, na sociedade e no mundo inteiro. A celebração eucarística aconteceu no grande pátio à frente da Igreja com a presença de uma grande multidão de fiéis. Por falta de espaço, muitas pessoas participaram da missa do lado de fora, na circunvizinhança do pátio. Após a Santa Missa, o povo saiu em procissão, conduzindo o andor de Nossa Senhora de Fátima. Foi uma brilhante festa.

Dia 8 - SOLENIDADE DA ASCENÇÃO DO SENHOR


Na noite deste domingo (8), Solenidade da Ascenção do Senhor, Dom Luís celebrou a Santa Missa na Igreja Catedral Nossa Senhora das Vitórias. A Igreja estava repleta: uma grande multidão estava presente na celebração. Na saudação inicial, Dom Luís dirigiu uma palavra às mães pela comemoração do seu dia, 2º. domingo de maio. Na homilia, enfatizou o sentido da solenidade da Ascenção do Senhor, lembrando que, no final de um caminho realizado no amor e na doação, está a vida em comunhão com Deus, a vida definitiva. A celebração recorda aos cristãos que, tendo Jesus sido elevado para junto do Pai, encarrega a comunidade dos seguidores de continuar realizando o projeto libertador de Deus no mundo de hoje, como novos discípulos missionários. A força para este testemunho será dada pelo Espírito que vai ser enviado pelo Pai e pelo Filho e derramado sobre a comunidade fiel. A Ascenção de Jesus sugere que a comunidade deve assumir com responsabilidade a missão de construir o mundo onde habita a justiça e a paz, o novo céu e a nova terra. Concluindo sua homilia, dirigiu uma prece de ação de graças ao Senhor por todas as mães, neste seu dia, invocando a intercessão e a proteção de Maria, intitulada na Arquidiocese Nossa Senhora das Vitórias, sobre todas as mães. No final da celebração, as mães foram homenageadas calorosamente. Dom Luís, ao saudar cada mãe que vinha a seu encontro e as demais pessoas, recebeu também carinhosos cumprimentos de felicitações pela sua mãe.

Dia 8 - ARCEBISPO CELEBRA E ADMINISTRA CRISMA NA PARÓQUIA DIVINO ESPÍRITO SANTO, EM POÇÕES


Na manhã deste Domingo (8), Solenidade da Ascenção do Senhor, dentro da programação do novenário em preparação para a Festa do Padroeiro, a Paróquia do Divino Espírito Santo, em Poções, acolheu o Arcebispo, que presidiu a Santa Missa, na qual administrou o Sacramento da Crisma. Eram em torno de 100 jovens, devidamente preparados, provenientes das diversas Comunidades Rurais da Paróquia. A Missa foi celebrada na Igreja Matriz do Divino Espírito Santo e contou com a presença do seu Pároco, o Mons. Carvalho, que concelebrou com o Arcebispo. A festa do Divino Espírito Santo deste ano, celebrada no contexto do Ano Santo da Misericórdia, está sendo norteada pelo tema central: “A Sabedoria que vem do Alto é cheia de misericórdia”. Este tema quer ser um convite a todos, especialmente aos jovens crismandos, a tornarem-se misericordiosos como o Pai. Dom Luís lembrou que a misericórdia é um dos temas mais fortes da doutrina cristã, visto que a salvação de um pecador é um ato da infinita misericórdia de Deus em favor da humanidade. Citando São Tiago, o Arcebispo destacou que a sabedoria que vem do alto é cheia de misericórdia. Além do mais, segundo Jesus Cristo, a virtude da misericórdia deve estar presente em seus seguidores, pois são os misericordiosos que alcançarão a misericórdia divina. Trata-se de um convite aos cristãos de todos os tempos a viverem de acordo com a “sabedoria de Deus”, pois somente ela pode conduzir o ser humano ao encontro da vida plena. Após uma breve explicitação sobre os textos das leituras da liturgia do dia, Solenidade da Ascensão do Senhor, Dom Luís dirigiu uma mensagem aos jovens crismandos, recordando-lhes que, pelo dom do Espírito Santo que eles receberão através do Sacramento da Confirmação, serão marcados com um sinal espiritual e se tornarão mais conformes com Cristo e mais perfeitamente membros da Igre4ja. Sendo marcados na fronte com o sinal da Cruz de Cristo, deverão ser testemunhas da sua paixão e ressurreição, fazendo com que suas vidas difundam por toda parte o bom odor de Cristo. Por fim, exortou os jovens a serem membros vivos da Igreja, dedicando-se, pela força e pela ação do Espírito Santo, ao serviço de todas as pessoas, a exemplo de Cristo, que veio ao mundo não para ser servido, mas para servir. Neste sentido, ressaltou o Arcebispo, é importante que o jovem assuma o compromisso de engajar-se nos diversos serviços e ministérios da Comunidade Eclesial e na ação pastoral e evangelizadora da Igreja. O Sacramento da Crisma é considerado o sacramento da maturidade cristã, pois implica um seguimento radical e comprometido com a missão de Jesus Cristo na doação total à causa do Reino de Deus. No final da celebração, a Assembleia cumprimentou os jovens crismados, que demonstravam grande euforia. Muitos dos presentes também aproveitaram este momento oportuno para uma saudação ao seu Pastor.

Dia 4 - REUNIÃO DO CONSELHO PRESBITERAL


Sob a presidência do Arcebispo Metropolitano Dom Luís Pepeu, esteve reunido neste dia 4 de maio, nos espaços da Igreja Paroquial de Nossa Senhora das Candeias, o Conselho Presbiteral da Arquidiocese para tratar de assuntos inerentes à vida e à caminhada eclesial da própria Arquidiocese. O Plano Pastoral Arquidiocesano é sempre retomado nessas reuniões como referência para a ação evangelizadora na Arquidiocese. A reunião teve início com um momento de oração com a invocação ao Espírito Santo, seguido de um momento de reflexão e meditação sobre o Ano da Misericórdia. Após a leitura da Ata anterior prosseguiu-se com os trabalhos. Dentre outros assuntos da pauta tratou-se da peregrinação com a imagem de Nossa Senhora Aparecida, por ocasião dos 300 anos da aparição da imagem; incentivo ao apostolado da OVS; pedidos de ordenação diaconal; Ano da Misericórdia; e orientações da Província Eclesiástica ao Povo de Deus para as eleições 2016. Na parte da tarde, terminada a reunião do Conselho Presbiteral, o Arcebispo reuniu-se com os Vigários Regionais.



Dia 1º. - FESTA DE SÃO JOSÉ OPERÁRIO, PADROEIRO DA COMUNIDADE DE CAMPINHOS EM VITÓRIA DA CONQUISTA


Neste domingo, 1º. de Maio, Dom Luís celebrou a Solene Eucaristia da Festa em louvor e honra a São José Operário, excelso padroeiro da Comunidade de Campinhos, Paróquia de Santa Terezinha, em Vitória da Conquista. Dentro do contexto do Ano Santo da Misericórdia, a celebração do dia festivo em louvor a São José foi norteada pelo tema: “São José, operário justo revestido da Misericórdia do Pai”.  O Arcebispo, em sua homilia, lembrou que a festa de São José Operário foi instituída no ano de 1955, pelo Papa Pio XII, fazendo-a coincidir com a “festa do trabalho”, conferindo, assim, a esta, uma dimensão cristã. Desta forma, acentuou o Arcrebispo, o Papa Pio XII, através da festa litúrgica, quis oferecer aos trabalhadores cristãos um modelo e um protetor. O humilde carpinteiro de Nazaré é exemplo para a meditação da nobreza do trabalho e muito pode ensinar aos outros trabalhadores a dignidade do trabalho, esta grande virtude que transforma a natureza e realiza o homem que, com seu próprio trabalho, tira o sustento necessário da família. Dom Luís também recordou que, em São José, Padroeiro da Igreja Católica, os trabalhadores de fé podem depositar a certeza de contar com a constante proteção. A missa foi concelebrada pelo Pároco Pe. Black e contou com a presença e participação de uma grande multidão da Comunidade de Campinhos e de comunidades circunvizinhas. Muitos fiéis e devotos de São José foram agradecer os inúmeros benefícios recebidos e pedir sua proteção para todos os trabalhadores, nestes tempos tão difíceis, marcados por tantas crises e pelo desemprego. Terminada a Missa, muitas pessoas foram ao encontro do Arcebispo para saudá-lo em demonstração de grande alegria pela presença do Pastor em seu meio e como um gesto de carinho e de acolhida.